sexta-feira, 22 de agosto de 2008

A VERDADEIRA HISTÓRIA DE FRANKENSTEIN


por Quatermass





Às vezes, a própria televisão nos prega peças. Quando assisti pela primeira vez A Verdadeira História de Frankenstein (Frankenstein: The True Story – 1973) jurava que saíra da tela grande.



Lá tinha James Mason (Dr. John Polidori), David McCallun (Dr. Henry Cerval), Michael Sarrazin (o dito cujo), Agnes Moorehead e Jane Seymour (fazendo papel duplo – Agatha/Prima).


Sua origem é pura telinha, produção inglesa, a duração é longa (aproximadamente 180 minutos), mas o elenco é de primeira.

O título é mentiroso, pois a história guarda leve semelhança com a obra original de Mary Shelley, mas apresenta um aspecto que é superior. Qual seria este aspecto? A adaptação da história com a presença de Jane Seymour. Já adianto que ela, com toda sua beleza, também é uma aberração – mas como é linda!


É um filme (melhor dizendo telefilme) de difícil classificação: mescla ficção com terror e suspense. Uma cena, que vi lá nos anos setenta pela Globo nunca me sai da cabeça: quando Jane Seymour (agora como Prima), também um ser reconstruído, é apresentada por seu criador e dança num baile! Nosso Frankenstein se apaixona por ela. Acredito que na história do cinema, o homem retalhado nunca tenha se apaixonado tão perdidamente e ao mesmo tempo tenha sido tão desprezado por uma mulher!


A seqüência seguinte à dança é digna dos melhores filmes de terror. O final, uma incógnita: quando desaparece no Pólo Norte. Uma obra acima de tudo estranha, exótica, com uma linda e ao mesmo tempo assustadora mulher, e um Frankenstein extremamente carente, sensível e por demais humano.



1 comentários:

thintosecco disse...

Antes que alguém pergunte onde encontrar esse filme, já adianto: também gostaríamos de saber!

Related Posts with Thumbnails