quinta-feira, 5 de março de 2015

HOPKINS E RIEU: A VALSA CONTINUA




por Thintosecco



Este é um novo post velho, já que os fatos ocorreram há algum tempo e muitos blogs já escreveram sobre o assunto. Mas como a música boa é eterna e ainda mais considerando os personagens desta história, ainda é tempo de contá-la. 

Vou reproduzir texto que extraio do blog METAMORFOSE DIGITAL, que também recomendo aos leitores dO PLANETA É NOSSO!


50 anos atrás, o famoso e "oscarizado" ator Anthony Hopkins compôs uma peça musical intitulada "And the waltz goes on". O ator, que compôs várias obras musicais em anos recentes, declarou que a valsa foi feita depois que ele escutou um jovem violinista holandês chamado André Rieu, de quem ele se tornou um grande admirador. Hopkins disse que era um dos melhores músicos que já havia visto e que tanto sua esposa quanto ele sonhavam em conhecê-lo pessoalmente algum dia.

Foi assim que um dia animou-se a mandar a valsa que uma vez compôs para o agora já famoso regente. Rieu disse que habitualmente recebe muitos e-mails e cartas de pessoas que lhe mandam peças musicais. No entanto, sua surpresa foi maiúscula quando viu quem tinha mandado essa valsa e mais ainda quando Hopkins disse que nunca ninguém tinha interpretado sua peça.
 
O ator deslocou-se a Viena convidado pelo violinista, que havia preparado uma grata surpresa: uma orquestra ia interpretar sua valsa. Simplesmente glorioso!
 



sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

LUTO



Leonard Nimoy (26.03.1931 - 27.02.2015)



Não me sinto em condições de escrever várias coisas que me passam pela cabeça neste momento. Poderia dizer que é como se fosse alguém de família. Seria falso, porque ELE É DA FAMÍLIA. Do coração.

Repriso, abaixo, nossa postagem de 27.03.2011, alusiva ao seu aniversário de 80 anos. 

Sugiro que assistam ao vídeo, onde ele explica a origem da saudação vulcana e também recomendo a leitura dos comentários.


Acima, Nimoy fazendo a saudação "Vida Longa e Próspera", que ele criou para seu eterno personagem, o sr. Spock.

Abaixo, um poema postado no twitter ainda neste mês. 
 


"Você e eu / aprendemos / A música do amor
E nós cantamos bem
A música não tem idade / e foi passada
Coração a coração / Por quem / Viu / O que vimos / E soube / O que sabemos
E amantes que já / Cantaram antes
Nosso amor é nosso / Para guardar / E dividir
O milagre é esse / Quanto mais dividimos / Mais temos". 

(Leonard Nimoy)



Vá com Deus, irmão !


 

A saudação vulcana e a benção de Shekhina








Neste último sábado, 26/03, Leonard Nimoy completou 80 anos de vida longa e próspera.
William Shatner também tornou-se octogenário no dia 22 passado. Parabéns aos dois!

Mas
com todo o respeito e carinho que devemos ao nosso Capitão Kirk, a verdade é que o Sr. Spock (do Nimoy) é, e sempre será, o nosso personagem mais querido do universo Star Trek.


No vídeo a seguir, o Nimoy fala de seu trabalho como fotógrafo e ainda explica a origem da famosa saudação vulcana: uma criação dele a partir de uma experiência religiosa na infância. Vale conferir (melhor visualizar em tela inteira).

Importante registrar que a Fê, do blog Vintage69, já havia dado um toque sobre esse assunto tempos atrás. Valeu.




Links recomendados:

Entrevista de Nimoy para a Revista Veja, em 2003.

Matéria no site TREK BRASILIS.

SPOCK - Matéria no blog Capacitor Fantástico.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

OS DIAMANTES DO DIABO






 por Quatermass



Os Diamantes do Diabo (A Twist of Sand - 1968) é um filme de aventuras B reprisado várias pela Rede Tupy nos anos setenta. Mas como cheguei até este filme? Através de exercício de memória, perseverança e uma surpresa final. Passados mais de trinta anos, algumas imagens ainda permanecem: a Costa do Esqueleto, um tesouro no deserto e um submarino alemão. 


Desde que conheci Thintosecco compartilhamos diversos filmes raros. Das acaloradas discussões sempre fui reticente a este filme inglês em especial, pois já cometi diversas confusões a respeito. 


Pra começar a Costa do Esqueleto: região litorânea da Namíbia, que coleciona mais de duzentas carcaças de navios encalhados. Se de um lado realmente existe um local com este nome, por outro, ao pesquisar na Internet, sempre acabava no filme alemão A Costa do Esqueleto (The Skeleton Coast – 1964), um filme policial fraquinho. E aí? Daí que seguia adiante e voltava para o alemão.


Mas eram tantas as discrepâncias, que não podia ser o mesmo filme. Cansado do IMDb, parti para o Wikipedia para saber mais sobre a Costa do Esqueleto. Neste momento, num lampejo de inteligência, desci a página até as sempre presentes referências no rodapé.


E voilá !  Lá está a menção de A Twist of Sand com uma mini sinopse.  E o nobre internauta perguntará: que diabos este cara vai atrás de um filme de 1968, se agora estão passando no cinema joias como O Jogo da Imitação e Birdman ? Quem sabe se daqui a 46 anos estes dois filmes não ficarão na lembrança de algum cinquentão, que estará fazendo o mesmo garimpo?  







 


Os Diamantes do Diabo tem um nome pomposo de um filme mediano. Talvez em razão de seu irregular diretor, Don Chaffey: em seu histórico dirigiu o ótimo Jasão e o Vêlo de Ouro (1963), o mediano Mil Séculos Antes de Cristo (1966) e a goiaba Criaturas que o Mundo Esqueceu (1971).







A história: sabedor da existência de diamantes escondidos em meio aos destroços de um galeão na Costa do Esqueleto um ex-oficial da marinha britânica arregimenta uma tripulação suspeita e sai atrás das pedras. Será necessária habilidade para adentrar pela costa sem naufragar. E ainda há um tripulante de submarino alemão que agora está sob o comando de seu algoz inglês. 






A história é melhor que o filme, que não faz feio. O  valor sentimental é muito maior que a obra em si. E a surpresa: aonde encontrar? Não saia por aí procurando DVD ou Blue Ray que não vai achar. Também não consta em catálogo de qualquer grande livraria ou locadora de vídeo. Não irás encontrar em sites ou blogs de downloads duvidosos, que pedem número de celular, seu endereço eletrônico ou uma conta no Google. Não acharás nos camelôs em meio a DVDs pirateados. 





Então, a revelação: está em domínio público ! Um filme de 1968 ! É só entrar no archive.org ou YouTube e baixar com um clique ! Apesar de tudo que falei antes, recomendo e muito. Aliás, recomendo as duas coisas: o garimpo e o filme. Por uma única razão: também vi Birdman e O Jogo da Imitação, e os achei ótimos, mas são novos e ainda não sabem como envelhecer.


Related Posts with Thumbnails