quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Afinal, que deuses eram os astronautas?




por Quatermass



No fundo, Erich von Daniken foi injustiçado! Ao publicar na década de sessenta sua obra mais conhecida, Eram os Deuses Astronautas? (Erinnerungen an Die Zukumft”1968), especulava a presença extraterrestre em diversas manifestações da antiguidade, como se sua passagem fosse fundamental para a evolução daquelas sociedades anciãs.



Quando assisti Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal (que num futuro próximo analisarei mais a fundo a quadrilogia), constatei que a história era puro Daniken. Quando o internauta e freqüente comentarista Vitrôncio havia dito que seu primeiro livro adquirido na Feira do Livro de POA justamente foi Eram os Deuses..., resolvi parar um pouco e pensar! Afinal, suas especulações mereceram tanto esculacho assim?







Existem mais obras para desmenti-lo do que em procurar outras explicações! Influência alienígena na Ilha de Páscoa, no Antigo Egito, na civilizações suméria, maia e inca. Eram os Deuses... é quase um compêndio: um livro de bolso, com pouco mais de 180 páginas, que mexeram com a cabeça de muita gente, inclusive David Koepp, roteirista do último Indiana Jones!


Mas existem outras obras do gênero que abordam a mesma coisa, inclusive sobre aspectos que nunca foram rebatidos: as descrições em sânscrito, de milhares de anos, onde figuras épicas tripulavam naves ou objetos estelares chamados de Vimanas (muito bem descrito na obra de Desmond Leslie e George Adamski, Flying Saucers have Landed, de 1953 - Discos Voadores, no Brasil, edição de 1957), apenas seis anos após Roswell. Tais textos nunca, repito, nunca foram reinterpretados ou criticados, ao contrário, sempre que possível deixados de lado – mais fácil é criticar Daniken!










Agora, uma especulação mais contemporânea e desagradável: mais misterioso que as afirmações da presença dos UFOs na Terra, é o “saco de gatos” que representa a Internet. Já repararam que se encontra de tudo? Porém, sua procedência é no mínimo duvidosa! Afinal, quem garante que o material ali disponível é autêntico ou retirado de uma fonte fidedigna, ao invés de puro charlatanismo? Um exemplo: tempos atrás comentei que não havia acreditado que o homem tivesse chegado à Lua, tamanho o grau de trapalhadas e incompetência, paralelo à evolução tecnológica do século 21. No entanto, há no YouTube, material de origem extremamente duvidosa, porém de excelente qualidade, especulando que não só que os astronautas estiveram na Lua, como encontraram algo mais lá.




Seguem abaixo três exemplos, dentre tantos, mas que selecionei por serem os mais intrigantes. Conclusão a que se chega: se Daniken soube especular com extrema criatividade e inteligência no campo da ufologia, não merecia tanta crítica, pois mais nebulosa que suas idéias, são as fontes colocadas hoje em dia à disposição do grande público.









3 comentários:

Vitroncio disse...

Olá!
Não apenas me manifesto por obrigação, já que fui citado no post, mas também por concordar com o que foi apresentado. O esculacho é sempre uma saída fácil e, em alguns casos, até adequada. Só que não se aplica a MUITOS dos assuntos apresentados pelo Däniken. Dentre tantos, destaco as linhas da planície de Nazca, no Peru. OK, não são (obrigatoriamente) pistas de pouso de naves extraterrestres (por um erro de conceito, naves não pousariam como aviões, então para quê uma pista...), porém a sinalização de algo que só poderia ser visto do alto (mas dentro da atmosfera, não de longe no espaço, o que daria margem a pensar em "pequenas naves de pequena autonomia e altitude" e não naves que cruzariam longas distâncias espaciais, embora tempo e espaço tenham lá a sua relatividade...)
Ou seja, qualquer exercício de raciocínio pode ser realizado e Däniken tem, na minha opinião, o indiscutível mérito de trazer à tona, de uma maneira acessível em tempos que não havia o benefício da Internet, uma grande quantidade de informações que nos deram o quê pensar. Não é possível condená-lo ou execrá-lo por ter exercido o direito de expor seus exercícios de pensar sobre todas aquelas coisas. errou em apresentar suas idéias como "as soluções", mas, seu maior acerto foi ao nomear seu livro: é um dos mais provocativos títulos de livros que eu já vi!
Obrigado a quem teve a paciência de ler esta opinião até o fim e duplo obrigado pela consideração neste blog, que continua show de bola!
Abraços portoalegrenses!!!!

thintosecco disse...

Comentando por partes.

1) Generalizar é complicado e o Däniken pecou principalmente por isso. Mas teve méritos: coragem de abraçar uma tese extremamente polêmica e, principalmente, um grande trabalho de pesquisa, relacionando uma imensa variedade de itens que não se encaixam na História Universal que conhecemos.

2) Sobre os vídeos gravados na Lua, parece que o vôo da Apolo 11 está virado numa espécie de “Você decide!”, com versões para todos os gostos. Escolha a sua: a) a oficial: em 1969 astronautas norte-americanos pousaram na Lua e lá encontraram apenas areia e pedras; b) a cética: é tudo mentira, nunca pisaram lá; c) a relutante: estiveram lá, mas parte dos registros da viagem (fotos, vídeos, etc.) é fraude; d) a visionária: acrescenta à alternativa “c” a crença de terem os astronautas encontrado na Lua muito mais do que foi divulgado. Pessoalmente, fico com a hipótese “c”, mas tudo é possível.

3) A lenda sobre a mudança do local do pouso do módulo lunar porque já estava “ocupado” é antiga. Mas essa filmagem dentro de uma “base” na Lua é muito estranha. Também é muito estranho esses funcionários da NASA admitindo que adulteraram fotos. Será que há algum interesse em criar um novo mito? Como disse o prof., teses fantásticas por teses fantásticas, é melhor ler ou assistir Erich Von Däniken.

thintosecco disse...

Existe uma outra versão alternativa para explicar algumas façanhas realizadas por povos da Antigüidade e que acho bastante interessante. Provém da doutrina espírita e pode ser encontrada no livro A CAMINHO DA LUZ, psicografado por Chico Xavier. Ali é explicado que em determinado momento da evolução humana, a Terra sofreu uma migração de espíritos vindos de um mundo materialmente mais desenvolvido. Assim, foram as lembranças de conhecimentos adquiridos naquele planeta mais avançado que propiciaram, por exemplo, que os antigos egípcios construíssem as pirâmides de Gizé. Seria também a explicação para o incrivelmente rápido desenvolvimento daquela civilização. O início desse fenômeno teria ocorrido na antiga Índia, por volta de 10.000 a. C. Trata-se de um livro bastante interessante, como todas as boas obras espíritas!

Related Posts with Thumbnails