segunda-feira, 2 de novembro de 2009

I.A. Inteligência Artificial





Inteligência Artificial




Não gostaria de comentar sobre o filme. Além de retratar um tanto quanto limitado, pois estamos muito longe da aplicação em máquinas com "interface"humana, ou seria o oposto? Sendo cotraditório, pois como já postado aqui há significativos avanços da cibernética, nanotecnologia.


Definição (Marvin Minsky)


É a ciência de fazer com que máquinas façam coisas que requerem inteligência, se feitas pelo homem.

É a ciência de emular no computador um comportamento inteligente



Mas o que é inteligência ??



Acho muito amplo e limitante conceituar "inteligência", pois na psicologia ela se ramifica em cerca de 7 níveis ou mais, cognitiva, lógica, emocional (auto relacionamento) Musical, Corporal-cinestésica (esportistas), espacial, e interpessoal. (Daniel Collemann)



Mas o melhor conceito é a capacidade mental, a platicidade da mente na resolução dos mais diversos problemas. Bom, aqui na comu, um exemplo deste predicado é meu amigo Taiguara. Um questionamento para reflexão:


"Bom-senso" e a ideia de "Contexto" são, na minha opinião, temas que influenciariam diretamente as decisões em Sistemas de Inteligência Artificial, se fosse possível criar um modelo computacional que os representasse. Também, as emoções refletem comportamentos típicos dos seres-humanos, que se fossem agregados a sistemas poderiam causar mudanças em decisões, como acontece conosco (seres humanos): decidir pela razão (mente) ou pela emoção (coração)? Como buscar o equilíbrio e o conhecimento necessários para as tomadas de decisão? Isso será possível evoluir em um sistema computacional?




Creio que tudo do real pode ser representado através de um ambiente computacional, a dificuldade é a definição, a modelagem de conceitos muito abstratos, em que o espírito, a conciência humana são insubstituivéis, mas perfeitamente imitados repetidos, mas o livre arbítrio em decisões, sempre dependerão do equilíbrio entre razão e coração...





Revendo conceitos, talvez a solução dos principais problemas de I.A, deverão ser resolvidos, não com o desenvolvimento do hardware em si, mas em sistemas híbridos que mesclem sistemas eletrônicos com sistemas biológicos.






links




http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/o-futuro-da-inteligencia-artificial-08092009-33.shl



Corram para as colinas !!! Skynet incoming !!!

1 comentários:

Thintosecco disse...

A questão aí é complexa. Mas uma coisa básica, eu acho, é não temer a tecnologia. Aliás, o medo das novidades tecnológicas esteve presente na sociedade desde sempre, haja vista o mito dos "cientistas loucos", presente em muitas e muitas obras de ficção.

Mas a tecnologia, obviamente, não é nem boa nem má, sempre vai depender do uso que os homens fazem dela. E é aí que está o eterno problema: a mente do ser humano (e não a da máquina, se é que a máquina terá uma "mente").

"Inteligência artificial" já é uma expressão que não soa bem. A inteligência, ou "consciência" teria que ser sempre algo natural.

Acho complicado, senão impossível, que uma máquina tenha uma "mente" semelhante à humana. Nem vou levar para o espiritualismo ou religiosidade. Basta lembrar de conceitos básicos de Freud, que descreveu a psique humana dividida em três partes principais: id, ego e superego, e movida pela libido. 1. Cadê a libido da máquina, se ela não tem sexo? 2. Que id teria a máquina, se essa é a parte da mente ligada aos instintos, à parte animal do ser humano? 3. O ego da máquina, a consciência de si mesmo, viria de onde? 4. E o superego, que está diretamente relacinado à influência dos pais?

Simular (ou emular) algumas características humanas ou animais - como o equilíbrio que se vê no vídeo - é uma coisa. Outra é pensar, de fato. E mesmo que consigam - talvez misturando "carne e silício", como referido num dos artigos - o problema crucial sempre será a Mente do Homem.

Valeu, mano!

Related Posts with Thumbnails